DSC_0245.png
WhatsApp Image 2020-10-22 at 08.53.37.pn

Ministério da Cultura,

Turismo e Ambiente

A herança secular dos Povos do Sul de Angola


O MUSEU
 

Inicialmente designado Museu da Huíla, foi instalado num edifício de habitação pertencente ao médico Arnaldo Correia que, tendo mudado de residência para Luanda, doou a sua casa, na antiga cidade de Sá-da-Bandeira, para fins científicos e culturais.

Machado da Cruz, investigador da área das Ciências Sociais e professor do Liceu Diogo Cão, hoje Universidade Mandume Ya Ndemufayo, aproveita a ocasião para pedir autorização ao então Governador de distrito, o comandante Peixoto Correia, para a criação e abertura de um Museu naquela cidade. Com o objectivo de recolher, albergar, estudar, e divulgar matérias do domínio Paleontológico, Arqueológico e Etnográfico é então fundado em 1957, por Peixoto Correia, o Museu da Huíla, exercendo Machado da Cruz a função e primeiro conservador desta Instituição. (Simão, 2015, p.22)

Machado da Cruz (1958) afirma que o Museu foi criado com várias secções das quais duas entram logo em actividade.

A primeira secção, de Etnografia portuguesa, possuía uma função exclusivamente educativa, pretendia mostrar e dar a conhecer aos filhos dos colonos, nascidos em Angola, a cultura portuguesa.

A segunda, de Antropologia africana nos seus mais diversos domínios, foi criada com fins puramente científicos e de pesquisa cujo objectivo era aprofundar conhecimentos acerca da Região, desde o seu povoamento primitivo, tendo assim funcionado até a Independência Nacional (1975) após à qual passou a designar-se Museu Regional da Huíla.

Segundo fontes documentais esta designação resultou de dois factores, o primeiro pelo facto de ser o único Museu existente no Sul de Angola e segundo por albergar colecções provenientes não só da Província da Huíla, mas também das Províncias do Namibe, Cunene e Kuando Kubango, fruto de anos de recolha e pesquisa científica por toda esta Região.Nessa altura a exposição etnográfica portuguesa é retirada, dando espaço exclusivamente à colecção que evidencia a cultura, hábitos, crenças, costumes e tradições dos povos Sulanos. At é 2014 funcionou como órgão dependente da Direcção Provincial da Cultura da Huíla, vendo, nesse ano, ser aprovado o seu Estatuto Orgânico pelo Decreto Executivo nº 5/14 de 8 de Janeiro, passando a ser tutelado pelo Ministério da Cultura.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A EXPOSIÇÃO PERMANENTE

 

A exposição permanente do Museu Regional da Huíla encontra-se organizada em salas temáticas representativas dos hábitos, costumes, crenças e tradições das comunidades do Sul de Angola. Ao visitar a nossa Instituição o visitante tem oportunidade de conhecer melhor os instrumentos e utensílios ligados às actividades do quotidiano destas populações. Pastorícia e caça, agricultura e pesca, música, crenças e espiritualidade, objectos de adorno e peças de vestuário, olaria, cabaças e a maqueta de um Eumbo Oshiwambo fazem parte da sua colecção visitável. 
 

 

O ACERVO EM EXPOSIÇÃO

pastoria e caça.jpg
instrumentos.jpg
poder e crenças.jpg
adornos.jpg
agricultura pescas.jpg
cestaria.jpg
olaria.jpg