Governo Provincial da Huíla

Gabinete Provincial da Agricultura, Florestas e Pescas

Contexto actual do Sector Agro Pecuário e seu Potencial

Hortícolas

Cereais

Pecuária

Leguminosas

Fruticultura

   A situação agrícola na província da Huíla caracteriza-se por um sector privado emergente que tende a repor os níveis de produção das unidades agrícolas, e um sector tradicional, que produz principalmente produtos a nível de subsistência. Muitos são os projectos em arranque e outros já em execução neste sector. Tendo em conta a riqueza dos solos huílanos, houve uma aposta estruturada e consistente para atingir os objectivos do plano provincial de desenvolvimento de médio prazo, que constam tornar a Huíla produtora de excedentes agrícolas (nomeadamente, de cereais) e pecuários, valorizando os regadios e a agricultura tradicional.

  O Sector da Pecuária regista também um crescimento e evolução positivos, fruto dos investimentos feitos pelos empresários do sector, na criação e optimização de Fazendas e Centros de produção, aquisição de animais reprodutores, equipamento e assessoria especializada. De relevar neste campo, o valioso trabalho desenvolvido pela CCGSA - Cooperativa dos Criadores de Gado do Sul de Angola, sedeada na cidade do Lubango.

  O gado constitui uma das grandes riquezas da região desempenhando também um papel primordial do ponto de vista sócio-económico para as comunidades rurais. O desenvolvimento da pecuária tem assim um enorme potencial, pois quase todas as culturas são possíveis de praticar devido a diferentes micro-climas, de realçar a criação de gado bovino, caprino e outros. Representa assim uma fonte de riqueza e estabilidade, dada a sua importância no melhoramento do nível de vida e na luta contra êxodo rural a nível regional e no abastecimento dos centros urbanos nacionais.

   A Huíla encontra-se praticamente no seu todo localizada na zona de climas alternadamente húmidos e secos das regiões inter-tropicais, com excepção do sul e do sudoeste da província, onde é nítida a influência da zona das calmarias tropicais. O clima é em geral quente ou tropical (temperatura média anual maior que 20ºC), mas nas áreas situadas a maior altitude pode ser classificado como temperado (temperado - quente), como, por exemplo, se verifica nos postos da Humpata (17,2ºC), Tchivinguiro (17,8°C), Lubango (18,6ºC), Cuvango (19,5ºC), Quipungo (19,6°C) e Caconda (20,0ºC).

    A Província localiza-se a ‘’grande altitude’’, sendo que a maioria da sua superfície territorial apresenta altitudes superiores aos 1000 metros, sendo constituída no seu essencial por uma planície limitada a oeste por uma cadeia de montanhas, onde é normal a existência de outras superfície aos 2000 metros que no sudoeste é designada pelas Serra da Chela, que no se conjunto fazem fronteira com a Província do Namibe.

A nível de solos predominam os ferralíticos, paraferralíticos, os fersialíticos, os arídicos tropicais, os oxipramicos e os barros vermelhos.

  A vegetação huilana varia bastante em função de factores como, o clima, o tipo de solo e a acção do homem. Assim destaca-se vegetação como: florestas abertas (brachystegia e julbernardia), mata densa (vegetação xerofíticas), balsedos, formação de pseudo-estepe, e vegetação constituída por extratos herbosos muito raros em que a espécie predominante é a loudetia simplex.

 A ocupação agrícola empresarial, manifesta-se mais incisivamente ao longo dos rios e principais linhas de água, com preocupação de utilização dos solos das baixas marginais naturalmente drenadas e mais férteis.

 A exploração de sequeiro é sempre inviabilizada pela irregularidade das chuvas excepto na parte norte, dai o grande aproveitamento dos rios existentes com construção das barragens da Tundavala (Lubango), Neves (Humpata), Ngangelas (Chibia), Chicungo e Sendi (Quipungo). As principais culturas praticadas nesta zona são: o milho, massango e massambala, feijão, batata rena e doce, hortícolas.

   Com o objectivo de aumentar a produção alimentar, com base no aumento das áreas agricultáveis e de relançamento da capacidade produtiva do sector, através da reabilitação de Infra-estruturas de apoio à produção e concomitantemente promover a redução e perdas pós-colheitas no âmbito do programa de investimentos da província, foram feitos significativos investimentos no programa de conservação de cereais e grãos.

   A agricultura «familiar» de pequenos camponeses presta uma significativa contribuição na produção agrícola, sobretudo nos municípios mais rurais.

Informação útil

Perímetros Irrigados

Projecção da capacidade produtiva

Agropecuária Província da Huíla

Mapa do Desenvolvimento

Agrícola  Província da Huíla

Contexto Socio-Económico

 Província da Huíla

(Brochura | Set 2020)

Anuário  estatístico Província da Huíla

(2019)